Solar de Montemuro

Partilhar no Facebook Partilhar no Twitter Partilhar no Google +

Sempre acima dos 1000 metros e por velhos caminhos de almocreves que cruzam os planaltos, a serra de Montemuro contêm encantos de largos horizontes e de respiração suspensa pela enormidade da paisagem. Daqui até onde a vista alcança, vê-se o Douro e o Bestança e todo um desfile de pormenores que fazem a diferença.

No alto, como que a reinar sobre todo este verde luxuriante, está o Solar do Montemuro, em Tendais, a escassos 10 km de Cinfães. Uma casa tradicional onde reinam a posta arouquesa e as especialidades confeccionadas com vitela e cabrito. Há também umas invulgares e saborosas papas de perdiz e bacalhau à Azenha.

Por estas bandas, para onde corre uma indefectível legião de gastrónomos, ganhou o epíteto de “ Catedral Gastronómica” e assim tem permanecido.

O edifício, construído para aproveitar a passagem da água, que escorre por toda a serra do Montemuro, é um imenso miradouro para lavar a alma e carpir as mágoas da vida agitada. Aqui o tempo corre a nosso favor.

O Solar é um restaurante típico, sendo o único na região de Turismo Douro e Sul com esta honrosa classificação de qualidade. Fernando e Armando Campos são os proprietários e entendidos deste genuíno estabelecimento de restauração, e recebem como ninguém.

O Solar situa-se na encosta da serra do Montemuro, no concelho de Cinfães. Dispõe de uma maravilhosa sala panorâmica com vista para os rios Douro e Bestança, que correm literalmente aos nossos pés. Numa das salas existe uma fonte que aproveita a água do Montemuro e corre pelo edifício.

No inverno, e porque na altitude o frio impera, há uma lareira, mas é no verão, com uma imensa esplanada aconchegada em sombras repousantes que a “ Catedral” ganha todo o seu esplendor.

Palavras-chave :
3809